sexta-feira, 26 de dezembro de 2008

Convergência



Covergência, parceria com Marcos Pontes

Ele:
Me vi em seus olhos como num espelho
Escorado na vida como em frio poste
À espera de tua chegada definitiva.
Segui seus passos, passo a passo,
Pelas calçadas frias de vida incompleta;
Abri o abraço ansiando de corpo inteiro
Enquanto seu corpo não vinha;
Apressei o tempo na ampulheta cheia
E os segundos demoraram a cair.

Ela:
Descalça e distraída ia mundo afora
Meus rastros nas ilhas, nos desertos
Eram vagos, inesperadas trilhas
Nas avenidas - veredas minhas
As calçadas eram as passarelas
Onde sorri músicas dentro de bocas vazias
Dancei transes cerimoniais, nas horas fiz hora
Vivi os dias em passeatas contra amores gastos
Sem saber, sirguei teu rumo na crista dos minutos

Ele:
Vi passar alheado e roçando
Meus caminhos pelos seus;
Senti, sem querer, seu cheiro
Alisar minhas narinas descuidadas;
Percebi ao alcance do meu toque curto
Suas costas alvas, salpicadas de querer.
O que antes era distância e nada
Tornou-se constância percebida.
Nossas rotas retas bifurcaram-se.


Ela:
Nesse mundo amplo de pequeno, zanzamos
Até que seu verso fisgou minha retina.
E se foi encontro premeditado, profecia
Ou destino aninhado em golpe de sorte,
Pouco importa. Vale o traço da tua mão
Sobre a linha da minha vida aberta
À experiência -limite e embargo
Entre o prazer da tua cadência
O toque do meu ritmo - vibra a nossa sinfonia

3 comentários:

Joe_Brazuca disse...

Belíssimo Dueto !
duas vidas...uma História...muitos caminhos....
beijo pros dois !
Feliz 2009 !
Joe

Adriana disse...

as duas mãos em cadência, na harmonia de quem está pleno.
Desejo igualmente um Feliz 2009.

Grace Olsson disse...

que dueto.Parabéns.bujs e dias felizes num ano que breve virá.