terça-feira, 19 de maio de 2009

Gata Arranhada

Flerta com a dor

E mia

Arranha e ama a cria

Vive resoluta

pelos cantos

Sem saber que a cura dói

 

Procura o calor da defesa

E deita-se ao lado

Sonha

Plácida e suave pelagem

Encobre o corpo que sofre

 

Ronrona na ponta das patas

Afaga

No calor e luz do dia brinca

Solta o bicho saudável teimoso

Alegra

E revive sete vezes

2 comentários:

Compulsão Diária disse...

Miauuuuuuuuuuuuuuuuuuuu. Eu sei! não leio mas sinto o quanto vc me ama e vc sente o afeto e a segurança que sinto no seu colo. E meu amor por vc é tanto que prefiro dormir no seu colo do que no da Bia, que me pegou qdo eu era micra. vc é meu maior amor. Vc sabe.
miauobrigada. Retribuo esse poema proemtendo sarar e nunca mais dar travbalho

Compulsão Diária disse...

Que fofos...
os versos e o comentário acima!