sexta-feira, 10 de julho de 2009

Ciclo

Vem seguindo trilhas negras

De betume e roxas de terra

Vermelhas de piçarra e sangue

Vida a dentro, casa a fora

Pernas e braços no mundo

Que percorre e abraça

Deixa amores

Traz texturas, temores

Seca humores e agruras

Deixa vidas, cria outras

Vara o país com rumo

Incerto e desejado norte

Guardando o Norte em seu cofre

Peito sem saída

Acumula o mundo

Ensina de onde vem

Aprende pra onde vem

Ciclo

O horizonte no fim do asfalto

Outra linha atrás

Meta à frente dos olhos

Na vontade do retorno

Meta é ponto de partida

Vai-se para voltar melhor

Ciclo

©Marcos Pontes

Um comentário:

Mai disse...

Ciclos de nascer e morrer e sobre o humus a semente floresce.
Cio da terra.
BELO!