domingo, 17 de agosto de 2008

Desconversa

Seu interesse pela entrevista

Miro pela fresta dos seus versos retesados
desejo pelo diálogo dos textos

sonho

no balanço das suas palavras
meu pensamento vacila

quente

Um estalo no seu vaivém noturno
Você volta frio
Estica nossa primeira frase

sua fala fértil corta o nexo
Falo que faz falhar este começo

7 comentários:

Guto Leite disse...

É permitido ler nos dois sentidos? Proposital? Se sim, acho que pode dar uma ajuda ao leitor menos obsessivo. Se não, talvez role um reforço nas conexões, porque foi uma possibilidade que aventei! =) Uma semana absoluta, querida, e muitos versos. É um prazer achar tanta poesia!

Victor Meira disse...

Caramba. Tá além do escritor como leitor, nessa desconversa: é a poesia como leitor, e o leitor em versos cansativamente descritivos. De volta, o falo-que-faz-falhar deixa um universo dentro da palavrinha "começo".

E a confissão do desejo pelo diálogo gera clima de cumplicidade nesses intermezzos do nosso poetizar.

Tô curioso pra ver se essa desconversa vira papo.
Beijo!

Márcia(clarinha) disse...

[Des]conversa fiada
falação desconexa
falha no [des]começo

lindo dia flor
beijos

Higor Assis disse...

Sinto-me lisonjeado demais com o Entre-Atos por aqui.

Este, que é um canto mais que especial. Agradecido fico.

Mara faturi disse...

oi moça,

saudades de visitá-la...estava viajando , agora retorno e Falando sério, sem conversa fiada (rs,rs);ADOROOOOOOOOOOO passear por aqui mansamente,sempre.......
grande bjo*)

^^-------) (meu gatinho pra vc!)

Luiz Modesto disse...

Fiquei curioso também. Era a intenção (imagino) poder ver de ré?
Abraços.

marilia disse...

Esse seu poema tem uma característica incrível: ele também faz sentido se vc ler do último até o primeiro verso!!!

Entretanto, a sonoridade do último verso "falo que faz falhar" não me agradou - não sei explicar o porquê.

bjo, dear, desculpe a inconstância das visitas, mas ando meio assoberbada de trabalho.