quarta-feira, 31 de dezembro de 2008

Al dente



Súbito, deságuo
Lúbrica ao cubo
No púlpito raro
Cume do teu desmaio

Aos poucos vou
Aos vôos amplos
Aos planos tantos
Eu, fada calma
Plano - ponto a ponto- plena
Antes do teu último temporal
Deste nosso ano al dente

7 comentários:

Marcos disse...

Sensuale e rótico na medida certa: al dente.

L. Rafael Nolli disse...

Muito bonito. Uma bela construção.

nydia bonetti disse...

CD
Este teu espaço é que é prá lá de especial.E este poema... Pura sensibilidade. Admiro os poetas que conseguem traduzir com exatidão e clareza seus sentimentos e sensações, assim, inteiros. Já minha poesia é tão fragmentada... Nossos versos falam por nós e de nós, não é?
Beijo!

Maria disse...

Esse engate de ouro que só as Divas merecem...
Um anel anelando vidas
e enlaçando um amor real...belíssimo

Te adoro mesmo!

Benny Franklin disse...

De prima. Como de sempre...

FELIZ 2009!

Abçs em Marcos!

Márcia disse...

Que final! Amei.
Feliz ano todo.

Um beijo do Recife.

Joe_Brazuca disse...

al dente é massa !
grande CD, nada melhor pra começar o ano...
baci, al sugo !