quinta-feira, 11 de dezembro de 2008

Vigília

Que no mesmo instante,
Tanto e tudo sejam
Desejo de ser tua
Cativa
Amante
Amiga
Para receber-te viva
Reter-me, unívoca,
Em ti.

4 comentários:

Pérola disse...

Obrigada pela sua visita.Irei responder mais tarde. Agora, "namoro" o seu poema pequeno, pequeno poema que enrola a ponta dos dedos... Vivo sempre em estado de vigília!! Tentando tal o verso, reter-me para que não seja fragmento... unidade dificil de se conseguir! Uma deusa é tríplice... e unir é uma história de uma vida inteira!!
Um beijo e um riso...

Laura Fuentes disse...

Linda imagem palavra do amor-entrega.
Querida, acabo de te convidar entre 8 queridos amigos para participar de uma brincadeira-sonho que está rodando o mundo. Passa lá prá ver, tá?

Rudny disse...

E assim segue a vigília... com as mais belas paciências e saudades, nostalgia, esperança. Isso é uma poesia-quadro. Pintada de azul escuro com tons de verde-musgo, uma face triste e introvertida sentada num sofá (escutando Something in the way do Nirvana)... :D

Vc é uma poetisa fantástica.

Joe_Brazuca disse...

estamos todos em...
bj!