domingo, 1 de fevereiro de 2009

Vem

Vem todo comprazer
Sobre cada poro
Ser meu
Céu na pele

Vem quando eu menos quiser
E você mais transgredir

Vem, entra, sobra e forra
Meus pêlos com seus milagres,
Na roça dos seus cílios,
Faz minhas delícias vibrarem


Vem e pisca na minha língua,
Com sua voz rouca
Devassa meu peito


Depois, abre a trilha
Com seu sopro
Abraça minha lira, acha,
Vê nós dois na ponta da linha

E vai

2 comentários:

Miriam disse...

Marcos:
Obrigada pela visita e pelo comentário. Segui a trilha e cheguei aqui,nesse espaço tão especial, pela beleza das letras e da parceria.
Deixo beijo ao casal de poetas.

Míriam Monteiro - http://migram.blog.uol.com.br

Adriana disse...

"na ponta da linha", essa é minha frase favorita.adorei o poema!