domingo, 3 de janeiro de 2010

Águas Nossas



Teus olhos, minhas piscinas
Mergulho num
Saio na água salgado d’outro
E nado rumo à rua boca
Rasgando a suavidade de tuas rugas

Passeio molhado pelos teus lábios
E escorro queixo abaixo
Chuvisco para teu colo
Garoo em teu regaço
Nos molho em ti

Mais não digo sobre o passeio
É coisa nossa
É dos nossos cheiros e tatos
É eu nadando em tuas águas
Enquanto te rego

Mais não digo
No papel não há segredo
Mas nossas cachoeiras são recônditas
Segredos públicos impublicáveis
Das correntezas que fazemos


©Marcos Pontes

4 comentários:

Anônimo disse...

Muito Lindo!

celina vasques disse...

Um dos poemas mais lindos que já li!
Talvez porque é tão real!
Tão amante ! tão lindo!
Meus aplausos!

beijos meus

Mai disse...

Belo e repleto de imagens.
abraços

Thiers R > disse...

O caso é serio. Essa madonna te deixa atônito. Amor a queima roupa. Importante Marcos, vc tá transcendendo felicidade.