quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

Chachachá

No obscuro deleite
Desse teu cogito perverso
Ela chega aos saltos
Altos e finos. Levita coragem
No chachachá mais lindo.
Brinca e sorrindo, escorre
Seiva irresistível de menina
No teu sofá, onde sentado
Estás perdido, caçador de gazela
Diante dela, terna fera
A feliz mulher da vida
Da tua verdadeira terra.

6 comentários:

Marcos disse...

Agora a verdadeira terra dela também.

samuca santos disse...

tem jeito não, cd,
você me remete às ousadias de martha medeiros...

Thiers R disse...

A saudade q sinto de ti, o papel n explica eu te preciso no over, lá os macacos comem banana ao pé da árvore.. rsrs..
>>>>>

escorre
Seiva irresistível de menina
No teu sofá, onde sentado
Estás perdido, caçador de gazela
Diante dela, terna fera
A feliz mulher da vida
Da tua verdadeira terra.

>>>>>

esta feliz mulher da vida é de arrasar.. inda mais com cheiro do dendê misturado ao mar....Sampa, foi saqueada pela mulher feliz que é-terna & é fera.

Victor Meira disse...

Isso é muito bom!!!! "no chachachá mais lindo"; "seiva irresistivel de menina", e a sonoridade conjunta dos dois últimos versos.

Só contemplei e me deliciei.
Lindo.

compulsão diária disse...

Marcos, a nativa estrangeira dança conforme a música;))

Samuca, e isso é bom ou ruim? Sei lá, mil coisas;))

Ferinha, ela dança, divaga de leve no ar...éter em todo o lugar. Acabou de partir pra Veneza. Vai entrar no Gran Canale num veleiro.Tcham tcham tcham. Mille baci

Victor, é muito bom? Então, que ótimo é tudo isso!

Joe_Brazuca disse...

Uau !...cogitei perversamente e dancei no gozo do chachachá...EU pulo na gazela...rsrs
Bom !, muito...
baci