terça-feira, 2 de dezembro de 2008

Corrente



Tua pele que me olha
Cúmplice e flerta
Meu olhar que te molha
Temporal e toca
Tua boca que me testa
Esperta e acorda
Minha voz que te acalma
Íntima e provoca
Teu sorriso que me canta
Depois do palco, no camarim
De nós dois
Onde minha alma escorre
Antes do teu aplauso final
Santana - Samba pa Ti

Imagem: Pearls

6 comentários:

Marcos disse...

Nessa correnteza quero navegar, ad eternum, rumo a mar imenso.

Márcia(clarinha) disse...

No melodioso som da guitarra a pele arrepia e o sorriso canta até o último acorde do derradeiro ato.

lindo dia flor poeta
beijos

Laura Fuentes disse...

Uau! arrepia até a alma....Belo poema.

compulsão diária disse...

Marcos, ad infinitun.

Laura, uau! Visita que arrepia a pele;))

samuca santos disse...

ai, cd,
você (se) supera (e a nosotros)!
pelamordedeus:
pele que olha,
olhar que molha...
vai poetar lindo assim
perto de mim.

fernando disse...

b,

fiquei sentindo este instante
tão poderosamente mágico
entre o antes
e o depois

...

evoé!