terça-feira, 10 de fevereiro de 2009

Rocha

Rocha de pozinhos
Sólida perde pedras
Arrasta-se rolando
Deixa rastro e marcas

Rocha de pedrinhas
Dura perde pó
Na aspereza do contato
Com outras menos nobres

Rocha de pó e pedra
Esculpida não desgasta
Ganha forma, vira jóia,
Mostra a gema camuflada

No oco do granito
Surge a ponta de carbono
Brilho de forma bruta
Que a vida lapidará

Surge do calhau disforme
A duras penas e suor
Brilhante aliança eterna
Que nada há de quebrar.

Um comentário:

Compulsão Diária disse...

Surge! Lindo trabalho de quem sabe lvrar a vida e a palavra