terça-feira, 24 de março de 2009

Desejamento

Querer ao maço
Desejar exponencialmente
Na infinitude do desejamento
A eternidade da amoração

Apaixonar-se por segundamente
Pela mesma mulher
E senfinitamente dar-se

Com a eternitude
Da benquerência mútua
A felicitude oceaniza-se
De margem a margem
Da universidade dos dois

É a amoridade incontida
Na limitude de cada um
Somada com a do par
Fazendo-se prasempremência


MyFreeCopyright.com Registered & Protected

Um comentário:

11ºE disse...

Peço desculpa pelo lapso, ou se preferir pelo meu erro em publicar um poema seu no bloog da minha turma. Não foi minha intenção que o escrito ficasse com outra autoria, ou ofender e desvalorizar o seu trabalho.
Já identifiquei correctamente a pastagem mas se preferir retiro o poema.
Mais uma vez desculpe
Carla Vieira