domingo, 15 de março de 2009

Dia Branco

Manhã de cloro
Claro e inodoro sol
Lástima de quem planta
Ócio de veranista
Alvo dia que rebenta
Do útero da madrugada
Branco nasce da negra
Matina albina
Das entranhas da noite

₢Marcos Pontes
MyFreeCopyright.com Registered & Protected

Um comentário:

Compulsão Diária disse...

Essas manãs albinas nascem ofuscadas, assustadas.As entranhas da noite contam segredos, assoparam enigmas.
Lindeza de poema